quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Internet neutra e sem amarras jurídicas

A entrevista com Demi Getschehko, engenheiro que integra o Comitê Gestor da Internet na Revista nº 25 de maio/2007, discute que a legislação específica para a internet pode causar amarras a sua dinâmica tecnológica.
Para ele a segurança na rede deve ser buscada na própria tecnologia.
Considera vital a neutralidade da rede.
Destaca como pontos vitais:
  • como você ataca a governança em níveis mais altos da rede
  • direito autoral é ponto vital
  • formas de coibir, coibir, colaboração entre e polícias para rastreamento, privacidade
  • inclusão digital e expansão da rede.

Destaco ainda o trecho:

" Acredito que tecnologia mais educação vão gerar nossas melhores formas de proteção. Eu acho que legislação é uma coisa perigosa nessa área. Porque é uma área tão dependente de dinamismo de tecnologia, que, se for criada uma legislação amarrada a uma tecnologia, ela pode ficar rapidamente obsoleta e travar alguma coisa, e também ser usada no sentido inverso do que se pretende - para infernizar a vida dos bem-comportados, enquanto os mal-comportados continuam à solta. Dificilmente, um sujeito mal-intencionado vai ser freado porque a legislação proíbe. E você pode sobrecarregar os corretos com o fato de ter de andar com crachá, identificação, impressão digital, essas coisas".

Um comentário:

Marisa disse...

Legislação no nosso país só serve para punir alguns. Ética, educação e claro a própria tecnologia poderão permitir as proteções das redes. Internet com amarras é retroceder. Acordos, reflexões, EDUCAÇÃO são as saídas. Concordo com os pontos de vista.